Livro: Para sempre (vol: 1)
Série: Os imortais
Páginas: 255
Editora: Intrínseca
Ano: 2009
Autora: Alyson noel
Onde comprar: Saraiva

Sinopse: Ever Bloom tinha uma vida perfeita: era uma garota popular, acabara de se tornar líder de torcida do principal time da escola e morava numa casa maravilhosa, com o pai, a mãe, uma irmãzinha e a cadela Buttercup. Nada no mundo parecia capaz de interferir em sua felicidade, o céu era o limite! Até que um desastre de automóvel transformou tudo em um pesadelo angustiante. Ever perdeu toda a sua família. Mudou de cidade, de escola, de amigos, e agora, além de todas essas transformações em sua vida, ela precisa aprender a conviver com uma realidade insuportável: após o acidente, ela adquiriu dons especiais. Ever enxerga a aura das outras pessoas, pode ouvir seus pensamentos e, com um simples toque, é capaz de conhecer a vida inteira de alguém. É insuportável. Ela foge do contato humano, esconde-se sob um capuz e não tira dos ouvidos os fones do i-pod, cujo som alto encobre o som das mentes a seu redor. Até que surge Damen. Tudo parece cessar quando ele se aproxima. Só ele consegue calar as vozes que a perturbam tão intensamente. Ever não entende o porquê disso, mas é incapaz de resistir à paz que ele lhe proporciona, à sensação de, novamente, ser uma pessoa normal. Ela não faz ideia de quem ou o quê Damen realmente é. Sua única certeza é estar cada vez mais envolvida... e apaixonada.
Ever Bloom é uma garota normal de dezesseis anos que após o trágico acidente de carro que matou toda a sua família adquiriu poderes como mediunidade e o poder de ver a aura das pessoas mas isso não a deixa feliz, Ever só quer apenas ter uma vida normal como antes até conhecer Damen...

Sempre tive um certo receio em ler livros em que os personagens possui algum tipo de poder sobrenatural ou qualquer outro. foi quando tive coragem de começar a ler este e sabe o que aconteceu? apenas intensificou muito mais o meu receio.

Para sempre é uma história um pouco clichê, na verdade gostei dos temas: auras, ler pensamentos e ver os mortos sim é legal mas a autora não aproveitou a chance que ela mesmo criou e cagou a história toda, para começar é o fato que durante todo o livro fala sobre Damen e toda a sua perfeição, poxa porque os boys desses livros de romance são todos perfeitos acho que ficaria bem mais natural se tivessem um defeitinho, quando li o primeiro capitulo pensava que Ever seria o assunto principal por causa do poder e tal mas não, o livro todo virou Damen.

Ever Bloom não me convenceu, a personagem não tem carisma, humor e é muito sem graça aquela historinha tipica: A garota diferentona (não pelo lado bom), esquisita que não é sociável e bla bla bla. Autora não descreveu de modo claro suas feições e não consegui imagina-la.
Não gostei de Damen, acho uma sacanagem o modo como ele tratou Ever nos primeiros capítulos como alguém que gosta do outro fica sumindo o tempo todo? como senhor? fica deixando a garota no vácuo, novamente a autora não o descreve bem, sem contar que o romance entre os dois aconteceu muito rápido, ok, sabemos que é bonito mas como assim, explique Alyson.

E la vem os personagens secundários, Haven é a amiga gótica de Ever, achei ela mega antipática e egoísta meio nada ver. O lado bom é que ela foi a unica em que consegui imaginar sua feições, tem também o outro amigo o Miles, inclusive ele foi o único que me simpatizei o mais engraçadinho mais ainda falta alguns detalhes para ser um personagem útil.

Para sempre é uma história narrada em primeira pessoa, o que a autora quis fazer parecia ótimo mas como já disse ela arruinou tudo com tantas repetições de Damon e errou feio na falta de personalidade de Ever, o único ponto importante e que eu realmente gostei foi o fato de que Riley a irmãzinha mais nova de Ever, que ''não atravessou a ponte'' se comunica frequentemente com a irmã achei a garotinha muito esperta e inteligente sendo ela o personagem mais bem construída da história. bom, não sei se vou continuar a ler o restante da série porque fiquei muito decepcionada com este livro ficamos então com uma frase do mesmo.
O perdão cura. Sobretudo quando perdoamos a nós mesmos.
Classificação:


Deixe um comentário