Viver sozinho é tão normal de amor - Gabriel Melgaço
Livro: Viver sozinho é tão normal de amor
Série: Volume único
Páginas: 216
Editora: Multifoco
Ano: 2017
Autor: Gabriel Melgaço
Onde comprar: Editora Multifoco


Sinopse: Essa história é um romance, no qual um jovem escritor conhece uma advogada. Sim, ela é muito bonita. Se veste de preto e trabalha de salto alto. Os dois se encontram por acaso. Ele passou por alguns términos. Ela acabou de se divorciar de um casamento cujo relacionamento durou seis anos. Quando ela começou a namorar o ex, ela tinha a idade do jovem que ela conheceu. Ele tem aquela juventude que a princípio ela julga ter desperdiçado. Mas conversando com ele percebe que na vida cometem-se erros que no fim são acertados. Não importa suas escolhas cara, um dia você pode se arrepender, por mais certas que elas possam parecer.O livro mistura um romance com contos, crônicas e frases que tem ou não a ver com a história principal. O leitor assim tem uma experiência variada que percorre vários estilos, do drama ao romance, do adulto ao infantil, acompanhando muitas histórias em uma só.Além disso o livro foca em dois dos assuntos mais pertinentes na atualidade: o amor e a solidão. Tanto a falta de amor quanto o excesso de solidão são duas marcas bastante comuns em nossa sociedade. O livro resgata esse debate com leveza e sinceridade. 
* Livro cedido em PDF pelo autor parceiro do blog.

Inspirador e Reflexivo.

A trama:

"Viver sozinho é tão normal de amor" é um livro que reúne textos, contos e frases enquanto conta brevemente o romance que Gabriel vive com Amanda, ou seja do começo ao final do livro essas histórias se intercalam nos fazendo apreciar tanto o romance quanto os textos aleatórios. O autor nos leva a conhecer sua escrita através de textos reflexivos que nos leva a pensar e a nos identificar com diversas situações, eu não tenho costume de ler livros de escritores brasileiros mas este em questão me fez repensar sobre nossa literatura e como ela pode nos surpreender e isso meio que quebrou meu "preconceito". Antes de tudo quero citar aqui meus três textos preferidos: Realidades, É difícil ser Deus, Você não é ninguém.

Narrativa, Linguagem e Narrador:

O livro não tem exatamente um roteiro como eu disse anteriormente há um intercalo entre textos e o romance de Gabriel e Amanda e isso faz a leitura fluir bem e acaba por não deixar a leitura cansativa ou chata, há frases e textos com uma escrita mais formal do que outros isso vai dependendo do objetivo de cada texto e da forma como é contado. A história é narrada em primeira pessoa.

Eu não sei ao certo se o que ele escreveu realmente aconteceu já que o personagem principal também se chama Gabriel, será um biografia? ou apenas uma história fictícia porém quis usar seu próprio nome? Bom, eu não sei.

Personagens e diálogos:

Só existem dois personagens (Amanda e Gabriel), Amanda é advogada de trinta anos que segundo Gabriel, é uma linda mulher que não aparenta ter a idade que tem. Gabriel é um jovem escritor que está em processo de criação de seu livro, os dois se conhecem e passam a se encontrar daí surge o amor entre eles. Acho que os diálogos é uma das minhas partes preferidas, gosto do fato de suas conversas serem tão inteligentes e inspiradoras, é como se os dois se conectassem tanto ao ponto de entenderem cada palavra dita um pelo outro.

Concluindo: 

Este livro é bem suave e dar para ser lido em dois dias (eu é que sou lerda mesmo), imagine isso, está chovendo e está frio, você quer um livro levinho para ler pegue este então. É claro que nem tudo são flores, obviamente teve partes mais interessantes e outras não muito, para mim. também teve alguns textos que não me agradou muito mas acho que eu não estava passando e nem estivesse vivido tal coisa para ter uma maior compreensão ou identificação. Em geral e gostei bastante da escrita, da história e mensagem que o livro traz e capa virou um das minhas preferidas, eu aprecio muito capas simples e coesas.

Antes de encerrar a resenha, sei o que você está pensando:
- Meu Deus eu não entendi esse titulo aí. - Eu também não tinha entendido mas depois que autor explica no próprio livro o que significa tudo fica mais fácil, abaixo sua explicação sobre o titulo do livro:

"- Nós estamos sempre sozinhos, não importa com quem estejamos. Por mais que você esteja namorando, ou casada, você está sempre sozinha. Viver sozinho é tão normal de amor porque mesmo acompanhados ainda temos aquelas reflexões, fantasias, pensamentos, ou aquela dor na consciência que só diz respeito a nós mesmos. É claro que podemos nos esquecer no meio da multidão... no final do dia, as pessoas estão todas sozinhas, vivendo consigo mesmas."

Classificação: 

11 Comentários

  1. Depois de ter lido a resenha fiquei interessada em ler o livro; talvez o faça. Achei interessante a forma dele de escrever, fez-me pensar no Pedro Chagas Freitas.

    ResponderExcluir
  2. Olá. Confesso que nunca tinha ouvido falar deste livro, mas me pareceu interessante diante de sua resenha. Vou procurá-lo e depois volto para dizer o que achei.

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia ainda, mas achei interessante, e essa jogada de misturar a história textos e contos, com certeza é um diferencial. Dica anotada. Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu gosto muito de obras com textos e crônicas, mas confesso que estou um pouco cansada desse estilo por enquanto. Estou preferindo obras mais robustas e completas. Mas eu acho que é muito legal o que você disse sobre ler em um dia chuvoso que queremos algo mais suave.
    Adorei sua resenha e vou anotar a dica, mas não pra já rs.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?

    Eu não conhecia o livro ou a editora, parece ser de fato uma boa leitura, eu particularmente gosto de crônicas. Fiquei interessado na obra, dica anotada. Adorei a sua resenha!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. não conhecia a obra, mas confesso que nao me senti empolgada pra fazer a leitura... talvez porque o genero não é dos meus preferidos...
    mas pelo que vi,no geral, a leitura te agradou... isso que importa, ne? ^^
    bjs...

    ResponderExcluir
  7. realmente o título é meio confuso, foi a primeira coisa que pensei sobre ele... Legal que o autor consegue explicá-lo dentro do próprio enredo.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia a obra, mas a dinâmica da mesma me deixou curiosa com a leitura.
    Vou anotar sua dica!
    Livros leves são sempre ótimas pedidas e afinal, preciso matar minha curiosidade com a obra! rs

    Beijinhos!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Lorena!

    Tudo bem? Não gostei muito da forma de narrativa do livro, acho que ia me incomodar muito sabe? Essa mistura de textos e contos e frases (tipo soltas?) não me chama atenção.

    Fico feliz que tenha gostado e achado a trama leve, mas pra mim não vai rolar.

    Beijinhos
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Lorena!
    Parece mesmo ser um livro leve e bem gostoso de ler, pedida perfeita para aquela tarde de domingo preguiçosa onde a gente só quer mesmo ler algo pra dar aquela relaxada.
    Não conhecia o livro e fiquei interessada não somente pelo romance que nasce entre os personagens como pela forma que a história é narrada, intercalando textos aleatórios com a trama principal. Parece ter sido uma mistura interessante.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Lorena. Infelizmente a dica traga aqui no blog não chamou muito minha atenção :( Não sou muito fã desse tipo de livro. Quem sabe uma próxima dica? ;)
    Beijos. Versos da Alma

    ResponderExcluir